Forte dos Reis Magos – Natal – RN

Um dos primeiros passeios que fizemos quando chegamos a Natal, foi visitar o Forte dos Reis Magos. E que vista meus amigos! Que lugar!

O forte é bem legal, mas a vista de lá foi o que me ganhou de verdade.

Fizemos uma visita guiada e o guia foi ótimo! E contou vários detalhes da história do forte e da cidade. Sem falar que ele era super engraçado! Não deixem de ir. Super valeu a pena.

Agora vamos falar um pouquinho da história dos lugar

Na verdade o nome do forte é Fortaleza da Barra do Rio Grande. Forte dos Reis Magos é o nome popular. A cidade de Natal foi fundado em 1599 e o forte foi o marco inicial da cidade. E o nome popular veio do fato de que ele começou a ser construído no dia 6/01/1598, Dia de Reis. Construído por portugueses em formato de estrela.

Informações práticas

Praia do Forte
(84) 3211.3820/ 3211.6166
Horário de visitação: todos os dias, das 8h às 16h

Querem encontrar mais coisas legais pra fazer em Natal? Só clicar aqui.

Espero que tenham gostado desse post e me contem aí nos comentários o que acharam!

Beijinhos e até a próxima!

Meu Parto Normal Humanizado em Dublin – Irlanda (RELATO DE PARTO)

RELATO DE PARTO Normal Humanizado em Dublin – Irlanda

30/04/2018, nasceu Louise

Tudo começou no dia 28 de Abril. Meus pais e minha sogra já haviam chegado, e décimos sair para turistar. Aqui na primavera tudo fica lindo demais e eu queria muito levar eles no Herbert Park, que fica simplesmente maravilhoso nessa época. Fomos até lá andando e voltarmos andando. De acordo com o meu Fitbit, andei mais de 10km no dia. Antes de irmos pra casa, paramos para comer. Eu fui ao banheiro (como uma boa grávida). Eu estava sentindo um corrimento estranho. Quando vi, era parte do meu tampão que havia saído. Rolou aquele misto de felicidade e medo ao mesmo tempo. E então começamos a acelerar as coisas, deixar tudo prontinho. Mas eu tinha certeza que por ser primeiro filho e tudo o mais, ia demorar mais uma semana pelo menos. Então não corremos tanto quanto deveríamos huaha.

RELATO DE PARTO - Meu Parto humanizado na Irlanda - Dublin

Dia 29, quando acordei, o resto do tampão havia saído. Seguimos a vida ainda com a certeza de que teríamos mais pelo menos uma semana. Decidi ficar em casa e organizar algumas coisinhas do bebê. Além de descansar um pouco. Meu marido estava com medo de eu acabar entrando em trabalho de parto se saíssemos pra passear. A semana que viria seria cheia no trabalho e ele ficava dizendo que queria muito que o bebê nascesse depois dessa semana e que não fosse de madrugada.

O Dia do parto

Dia 30, acordei com uma leve cólica, mas isso já vinha acontecendo há alguns dias. E geralmente era vontade de fazer xixi. Levantei e conforme fui fazer meu xixi matinal, minha bolsa estourou (por volta das 8h). Aquele pensamento meio dormindo meio acordada, de, ei, essa água ta saindo pelo lugar errado foi impagável huaha. Fui pro quarto e falei pro meu marido: pelo menos seus pedidos foram atendidos, a bolsa não estourou de madrugada. Voltei pra cama e ficamos lá enrolando por um tempo, meio que processando o que havia acontecido e como seguir com o dia.

Comecei a ter contrações e a monitorá-las. Elas estavam vindo a cada 3 minutos porém durando pouco, perto de 1/2min só. Fui tomar banho, coloquei meu tens e sentei pra tomar meu café. Nisso para facilitar a vida e evitar maiores sujeitas, coloquei uma fralda. Meu marido foi ficar pronto também. Quando terminei, fui terminar de organizar a mala maternidade (que faltavam alguns detalhes) e o quarto. Não queria ficar muito tempo na maternidade e me manter distraída e ativa ia ser bom pra passar o tempo e acelerar o processo. Enquanto isso, na sala, meu marido e meu pai montavam o carrinho do bebê.

Quando deu mais ou menos 3h que a minha bolsa tinha estourado fomos para a maternidade (11:03). Rotunda. As contrações já estavam bem mais fortes, mas ainda no mesmo intervalo. O pessoal estava começando a ficar nervoso em casa, então achei melhor sair logo hauah.

Cheguei lá, fui examinada, estava com 2cm de dilatação. A menina me perguntou o que eu achava de ir pra casa. No começo achei uma boa, mas o caminho de táxi foi tão desconfortável que eu não queria passar por aquilo de novo. Pedi para ver se tinha como eu ficar e ela me mandou para a ala pré parto.

Quando eu cheguei a midwife veio conversar comigo sobre anestesia e tudo o mais e eu falei que queria usar o gás e depois a epidural. Mas que não queria a Pethidine (é uma anestesia intramuscular que pode chegar ao bebê). Minhas contrações começaram a ficar cada vez mais fortes. O tens já não estava mais dando conta. Sabe aquela coisa de que as pessoas têm 3 minutos sem dor entre uma contração e outra?! Eu não estava tendo. Comecei a gritar de dor. A midwife sugeriu ir para a banheira. Tentei. Não ajudou muito. Comecei a implorar por anestesia. Ela me falou que q única disponível ali era a Pethidine. Eu falei que queria, que não tinha problema, mas eu não estava mais aguentando. A moça que estava do meu lado tinha tomado e estava roncando poucos minutos depois.

Para poder tomar essa anestesia, eles precisam monitorar o bebê por 20min e avaliar a sua dilatação antes. Foi a minha sorte. Por que quando começaram o processo e foram ver a dilatação, eu já estava com 5cm! Rapidinho me arrumaram um quarto pro parto (16:36pm) e já chamaram a anestesista para a epidural. Enquanto isso eu fiquei no gás. E que coisa maravilhosa o gás! Aliviou muito a minha dor! Nossa! Mas rapidinho a epidural chegou.

Poucos minutos depois eu não sentia mais nada de dor. Mal sabia que estava tendo contração. Mas mantive o movimento quase por completo. Logo no começo tivemos que tentar algumas posições diferentes para eu ficar, pois o bebê estava com os batimentos cardíacos caindo muito a cada contração. Fiquei deitada de lado e colocaram uma bola para manter minhas pernas abertas afim de dar espaço para que o bebê conseguisse virar para a posição ideal pra o parto.

Depois de algum tempo, umas 2h, comecei q sentir as contrações de novo, algumas só, mas nada demais que não desse para aguentar e uma pressão lá em baixo. Avaliaram minha dilatação, eu já estava com 7cm. Estava progredindo muito bem e muito rápido para um primeiro bebê. Dormi um pouco, comi um pouco. Por volta das 19h a midwife verificou de novo. Me pediu para fazer um teste de dilatação e empurrar. Foi aí que ela me disse que eu estava com 10cm já! Que o ideal era esperar 1h antes de começar a empurrar pois a cabeça ainda estava muito alta. Fiquei super surpresa! Já estava na hora!

Aconteceu a troca de turno as 20h e a outra midwife já chegou organizando tudo e começando o processo comigo. Colocaram para tocar uma música bem tranquilinha de fundo que sinceramente, achei bem agradável. 1h depois de começar a empurrar, as 21:32, nasceu Louise, com 3,580kg.

Logo colocaram ela em mim e essa coisinha linda logo já estava procurando o peito e mamando. Cortei o cordão. A menina que fez o meu parto, um amor! Permiti que um aluno de medicina assistisse ao parto. Eles foram super pacientes. Esperaram dar uma hora dela comigo antes de dar a vitamina K, pesar tudo o mais. Fizeram tudo com muita calma. Me deram um banho no leito e fui transferida para o quarto por volta de meia noite e já, ela foi até lá comigo, me abraçou, muito fofa. Meu marido ficou comigo um pouquinho mas logo teve que ir embora. E lá estava eu, depois de horas de trabalho de parto, com o meu pacotinho, uma barriga flácida, apenas um ponto e uma felicidade imensa. Agora era hora de começar um novo desafio, a amamentação.

E teve lanchinho depois do parto??? Teve sim! Vou fazer um outro post contando tudo que aconteceu uma vez que o bebê nasceu! Se tiver alguma dúvida ou curiosidade ja escreve aí nos comentários!

Espero que tenham gostado do post e que tenha ajudado de alguma forma! Depois me contem aí nos comentários o que acharam!

Feriado em Paraty / RJ – O que fazer

Ola meus amores! Vim trazer pra vocês o meu roteiro, o que eu fiz, quando fui passar um fim de semana prolongado / feriado em Paraty com a minha melhor amiga. E que final de semana eim! Foi maravilhoso! Então eu super recomendo tudo que vou contar que fizermos aqui pra vocês. Vamos lá.

Acomodação

Ficamos hospedadas na Pousada Dom Ângelo. Que nos permitia ir e voltar do centro a pé, inclusive a noite, o que é uma coisa que gostamos muito em viagens. A facilidade de ir e vir de onde estamos e a proximidade de locais com comida e coisas para fazer.

Tudo limpinho e organizado. A pousada não deixou a desejar em nenhum aspecto. Incluindo o café da manhã.

Dia 01 – Feriado em Paraty

Chegamos pela manhã na cidade, deixamos as coisas na pousada, demos uma passadinha rápida na cidade pra comer e conhecer o centro histórico.

Fechamos o passeio do dia seguinte e partimos praia. Ficamos na praia mais próxima do hotel.

Praia do Pontal

A noite saímos para comer no centro.

Dia 2 – Feriado em Paraty

No dia seguinte partirmos passeio de Escuna. Ele nos levou a praias maravilhosas. Águas de cor perfeita e conseguimos ver muito peixinhos e corais. Sem falar que a comida do barco era muito boa, inclusive o brigadeiro! Huaha Esse passeio em geral dura 5h e fica em média 40 min em cada parada.

  • Ilha Comprida,
  • Praia da Lula,
  • Lagoa Azul
  • Praia Vermelha 

Ao voltarmos para a cidade, qual não foi a nossa surpresa? Encontramos o centro histórico Paraty alagado. A cidade foi projetada para permitir a entrada da água do mar quando a maré está alta. Um jeito natural de limpar as ruas da cidade. Dessa forma a água vem, limpa tudo e vai embora. As casas logicamente foram construídas acima do nível que a água bate para evitar que entre nas residências. Eu achei tudo muito curioso. Até por que, não estava esperando ver algo do gênero. Grande surpresa que fez o passeio terminar com chave de ouro.

Dia 3 – Feriado em Paraty

Pegamos um ônibus na rodoviária e fomos para Trindade, um bairro de Paraty. Encontramos praias absolutamente maravilhosas. Fizemos uma trilha que primeiro nos deixou numa praia onde não tinha absolutamente ninguém e depois para piscinas naturais do Cachadaço. Pegamos um barco para voltar para a primeira praia e vimos o por do Sol no caminho.

“A Piscina do Cachadaço está localizada no final da Praia do Cachadaço. Para chegar ao local, será necessário fazer uma pequena trilha de 30 minutos que passa pela Praia do Meio e Praia do Cachadaço. O acesso não é tão fácil e pessoas com problemas de locomoção podem encontrar dificuldades para enfrentar as pedras e lamas no final do trajeto. Quem preferir, poderá escolher fazer o percurso de barco a partir da Praia do Meio ou da Praia dos Ranchos, as duas em Trindade. O custo da viagem varia entre R$10 e R$20 e não demora nem 5 minutos. Para subir e descer do barco, será necessário entrar na água. Leve seus objetos protegidos.”

Foi uma grande aventura e eu amei cada segundo dessa viagem. De verdade. Foi uma das minhas favoritas até hoje.

E o mais incrível é que Paraty além disso tudo que fizemos, ainda tem varias outras atrações, como cachoeiras, trilhas… Se quiserem saber mais do que podem encontrar por lá, não deixem de conferir esse link aqui (clique aqui).

E é isso meus amores, espero que tenham gostado do post. Não deixem de me dizer aí nos comentários o que acabaram da cidade e do conteúdo! Beijinhos e até a próxima!!