Ponte dos Espiões – Resenha Crítica

Ponte dos Espiões (Bridge of Spies) - banner

Ponte dos Espiões (Bridge of Spies) - poster

Sinopse:

Ponte dos Espiões (Bridge of Spies) – Em 1957, James Donovan (Tom Hanks), um advogado de Nova York, é chamado pelo governo para defender um espião russo, Rudolf Abel (Mark Rylance), capturado em solo americano. Os esforços de Donovan para garantir um julgamento e uma sentença justa para Abel acabam colocando ele em uma negociação com a União Soviética para uma troca de prisioneiros na cidade de Berlin, logo após a construção do muro.

PONTE DOS ESPIÕES – COMENTARIOS SEM SPOILER:

Tom Hanks, Spielberg e a Guerra Fria. Ponte dos espiões sem dúvida nenhuma leva qualquer americano com mais de 50 anos ao êxtase, afinal, não existe ator mais americano do que Hanks, tema mais emotivo do que a guerra fria e diretor mais hábil em simplesmente contar uma boa história. Piadas a parte, Ponte dos Espiões é um bom filme que retrata muito bem a época, os medos e as disputas da guerra fria, além de ter aquela leve “propaganda” desse sonho quase febril e inalcançável que é a “América”. Spielberg sabe como poucos, contar uma estória, de forma direta, interessante, limpa e bem executada. Não existem ousadias aqui, tentativas ou grandes ideias. Temos um diretor e um ator perfeitamente confortáveis em seus lugares, executando um trabalho que eles já fazem há um bom tempo, de forma muito competente, e afinal, depois da carreira que eles tiveram, ambos não precisam mais provar nada para ninguém. Não quero dizer isso de forma ruim, mas Ponte dos Espiões é muito bom e apenas isso. Não há defeitos, mas também não há nada de novo. Todos os personagens são tão perfeitamente delineados que parecem faltar imperfeições. Também não existe uma grande curva dramática no fim. Não quero dizer que ele é desprovido de emoções, mas é tudo muito bem calculado, contido e liberado nas horas certas. É um bom filme, com boas tiradas, personagens interessantes, mesmo que limpos demais e uma boa trama. Para o bem ou para o mal, não há muito o que dizer além disso. Indicações ao Oscar: Melhor Filme, Melhor Ator Coadjuvante – Mark Rylance, Melhor Roteiro Original, Melhor Mixagem de Som, Melhor Design de Produção, Melhor Trilha Sonora.

Lançamento 22 de outubro de 2015 (2h12min)
Dirigido por Steven Spielberg
Com Tom HanksMark RylanceScott Shepherd (II) mais
Gênero Suspense
Nacionalidade EUA
Oscar 2016 Melhor Ator Coadjuvante – Mark Rylance

PONTE DOS ESPIÕES – COMENTARIOS COM SPOILER:

Depois desse filme, eu sempre vou querer que o Tom Hanks seja meu advogado. Apesar de ter um que de idealização, eu achei bem legal ele levar o caso até a Suprema Corte, mostrar que ele estava fazendo o melhor trabalho possível para defender Abel. Também achei valido mostrar a intolerância das outras pessoas, como o gordo gritando no tribunal “Porque, em nome de Deus, não vamos enforcar ele!?”. É assustador que décadas depois, eu ainda acho esse cara um retrato fiel do americano médio. Abel é outro personagem interessante, calmo e calculista, mas sem ser arrogante. Seu presente final para Donovan é muito bem vindo para fechar os minutos finais do filme. A única parte que achei mais fraca foi toda a instrução dos pilotos e o ator que fez Gary Powers, ele é superficial e as cenas com os aviões, treinamento etc, parecem que foram colocadas depois de terminarem o filme. Outro detalhe é como eu disse nos comentários sem spoiler, a curva dramática no fim é quase uma reta, ele negocia, lida com as pressões, mas é tudo muito simples, sem perigos reais, tirando o grupo de trombadinhas que roubam o casaco dele. Se não fosse pela existência do Pryor – o estudante de economia – as negociações da troca de prisioneiros teriam sido feitas em 30 minutos e com um aperto de mão, sem necessidade daquele ir e vir de tratar com os russos, depois com os alemães, depois com os russos de novo etc. Para terminar: a primeira é que eu gostaria que todas as minhas gripes fossem brandas como a do Donovan e que ele realmente se joga na cama no fim, o que me pareceu devidamente humano da parte dele.

Esse é um dos últimos filmes que participaram do Oscar desse ano que eu faço resenha. Só está faltando agora The Dressmaker para acabar, e depois, dependendo, vamos seguir ou não com os filmes normais do ano. O que vocês acham? Continuamos com as resenhas ou não? Bom, essa foi mais uma em colaboração com o meu amigo Pedro Mota e de novo eu peço para me dizerem o que acharam, ele está fazendo um bom trabalho? huahua.

Já assistiram o Ponte dos Espiões (Bridge of Spies)? Me contem o que acharam do filme!! Achavam que ele merecia mais Oscars? Bom, por hoje é só meus amores! Até a próxima!

Mil e um beijinhos

FanpageInstagramTwitterSkoobBloglovin

2 comentários sobre “Ponte dos Espiões – Resenha Crítica

  1. Lorraine Faria disse:

    eu terminei o filme pensando em como poderiam ter tido produções desse tipo na época da escola. conseguiu mostrar bem a situação da guerra fria de forma tão simples! agora sobre ganhar mais prêmios não sei.. gostei bastante mas acho que justamente por ele ter sido fiel a história verdadeira, e não ter dado uns bons ganchos dramáticos, reviravoltas, acho que ele foi indicado ao que merecia mesmo! um ótimo filme :DD

Deixe uma resposta