Grávida na Irlanda – E agora?

Ficou grávida no intercâmbio? Ou acabou de se mudar pra Irlanda e engravidou? Simplesmente se viu grávida num país que não é o seu e não faz ideia por onde começar? Então vamos lá.

Descobrindo a gravidez – Testes de gravidez

Em general se descobre a gravidez fazendo testes de farmácia. Certo? Tem dos mais baratos (1€) até os mais caros. Eu descobri minha gravidez no Brasil, estava passando férias lá… Mas sei que muitas vezes a gente não acredita da primeira vez que vê o positivo. E mais, se você está tentando ou não, pode ter alguns falsos alarmes aí no meio do caminho. Então a minha sugestão é: compre alguns dos mais baratos e um do mais caro que diz as semanas. Aí se der positivo, você gasta o caro pra saber de quantas semanas está.

Começando o Pré-Natal

Primeiro passo é ir no GP (General Practicioner). Ele vai fazer um exame de urina no consultório (eu já tinha feito ultra no BR então não foi necessário) para confirmar a gravidez. Vai te passar orientações gerais como vitaminas e esquemas de pré natal. E vai te dar uma carta para você levar no hospital (ou enviar pelo correio) da sua escolha.

No geral você paga a primeira consulta no GP (por volta de uns 60 euros), mas as demais (relacionadas a gravidez) são de graça. Se você precisar ir ao GP por algum outro motivo não relacionado a gravidez será cobrado.

Escolhendo o Hospital – Dublin

Temos três principais Hospitais aqui em Dublin, cada um com seus pontos positivos e negativos. Vou falar um pouco dos pontos de cada um, qual escolhi e por que. Mas já queria adiantar que a maioria das pessoas decide por aquele que é mais perto de casa/ mais fácil de chegar.

Coombe
Rotunda
  • Perto das duas linhas de luas
  • É o hospital mais antigo de Dublin
  • Eles tem uma série na Tv daqui que você pode assistir on line de graça e mostra vários partos e dessa forma você fica conhecendo um pouco de como as coisas funcionam, as pessoas que trabalham no hospital e como ele é por dentro. Para assistir, clique aqui.
The National Maternity Hospital
  • Você não precisa ir la levar a carta nem mandar pelo correio, pode fazer on line.

//

Uma vez que isso tudo foi decidido, só enviar a carta que recebeu do GP pro hospital (pode entregar pessoalmente ou mandar pelo correio ou fazer on line no caso do NMH). Eles vão te enviar uma carta com a data da sua primeira consulta. Que normalmente é por volta das 12 semanas de gestação. Para saber um pouquinho de como é o parto por aqui, pela Irlanda, clique aqui para ver o meu relato de parto.

Você também vai precisar escolher o esquema no qual vai ser atendida (público, semi private ou private). Mas isso ai da pano pra manga e eu vou falar mais em outro post.

E bem vinda ao pré natal na Irlanda!

Pré Natal, 10 diferenças Brasil x Irlanda

Olá meus amores! Tudo bom? Eu estava aqui pensando com os meus botões e percebi que nunca contei muito como é o pré natal aqui na Irlanda pra vocês né?! Então resolvi fazer esse post com as 10 principais diferenças. Mas antes de começar, vou dizer que estarei comparando principalmente com o serviço privado do Brasil. E quando achar relevante, falarei como é no público nos lugares que eu trabalhei também. Inclusive, a primeira diferença é essa, então vamos lá:

1- Aqui o serviço privado de pré natal e parto é no mesmo hospital do público, com os mesmos médicos e enfermeiras, na maioria das vezes. Existem clínicas separadas, mas quais você terá um atendimento mais diferenciado, mas o parto geralmente é com um médico que trabalha no hospital, público no caso.

2- Aqui o acompanhamento é bem mais espaçado, acho que no total, tive umas 5 consultas com o meu médico.

3- Enquanto no Brasil fazemos diversas ultras e testes, aqui só se faz uma grande ultra por volta das 20 semanas, que seria a morfológica. Dependendo de onde você está fazendo o seu pré natal, a cada consulta o médico da uma olhadinha rapidinha no seu bebê, mas só mede e é tudo super rápido mesmo. Nada de ficar mostrando o bebê e tudo o mais (isso na verdade é questão de sorte)

4- Quem vai fazer o seu parto não é um médico, mas sim uma enfermeira obstetra. E se necessário, se ela precisar, chamará o médico. Em alguns hospitais do SUS isso também acontece.

5- Não é sempre o mesmo médico que te atende a cada consulta de pré natal. E dependendo de onde você mora/do esquema que está participando, pode ser que você nem veja um obstetra sua gravidez inteira.

6- O Teste de tolerância a glicose, feito para avaliar diabetes gestacional só é feito em casos onde há fatores de risco, como pais diabéticos e outros.

7- Existem 3 opções de atendimento, público, semi privado e privado.

8- Os hospitais oferecem aulas para as mamães de primeira viagem. Ensinando o básico de cuidados com o bebê, parto e afins.

9- O primeiro ultrassom só vai ser feito após as 12 semanas. Na sua primeira consulta pré natal. Antes disso, nada será feito com relação a sua gravidez, a não ser que você tenha algum problema.

10- O teste que o médico pede/faz para confirmar a gravidez é de urina. Enquanto que aí no Brasil em geral é o de sangue.

Resumo, é tudo bem diferente. E especialmente se você teve alguma experiência com o assunto no Brasil, pode achar tudo muito estranho e até se sentir meio largada. Eu preciso admitir que tive agonia de ver tão pouco o médico e fazer tão poucas ultras. Mas para eles aqui, isso só quer dizer que estava tudo bem e que eu não precisava de mais atenção do que isso. No final deu tudo mais do que certo. E isso que importa.

Espero que tenham gostado do post e qualquer dúvida, só perguntar!

Related Posts

Feliz Natal

2015-12-24 23:49:00

18

Wishlist de Natal + Casamento 

2015-12-10 13:43:48

18

6 on 6 – Natal

2015-12-08 19:56:52

18

Meu Parto Normal Humanizado em Dublin – Irlanda (RELATO DE PARTO)

RELATO DE PARTO Normal Humanizado em Dublin – Irlanda

30/04/2018, nasceu Louise

Tudo começou no dia 28 de Abril. Meus pais e minha sogra já haviam chegado, e décimos sair para turistar. Aqui na primavera tudo fica lindo demais e eu queria muito levar eles no Herbert Park, que fica simplesmente maravilhoso nessa época. Fomos até lá andando e voltarmos andando. De acordo com o meu Fitbit, andei mais de 10km no dia. Antes de irmos pra casa, paramos para comer. Eu fui ao banheiro (como uma boa grávida). Eu estava sentindo um corrimento estranho. Quando vi, era parte do meu tampão que havia saído. Rolou aquele misto de felicidade e medo ao mesmo tempo. E então começamos a acelerar as coisas, deixar tudo prontinho. Mas eu tinha certeza que por ser primeiro filho e tudo o mais, ia demorar mais uma semana pelo menos. Então não corremos tanto quanto deveríamos huaha.

RELATO DE PARTO - Meu Parto humanizado na Irlanda - Dublin

Dia 29, quando acordei, o resto do tampão havia saído. Seguimos a vida ainda com a certeza de que teríamos mais pelo menos uma semana. Decidi ficar em casa e organizar algumas coisinhas do bebê. Além de descansar um pouco. Meu marido estava com medo de eu acabar entrando em trabalho de parto se saíssemos pra passear. A semana que viria seria cheia no trabalho e ele ficava dizendo que queria muito que o bebê nascesse depois dessa semana e que não fosse de madrugada.

O Dia do parto

Dia 30, acordei com uma leve cólica, mas isso já vinha acontecendo há alguns dias. E geralmente era vontade de fazer xixi. Levantei e conforme fui fazer meu xixi matinal, minha bolsa estourou (por volta das 8h). Aquele pensamento meio dormindo meio acordada, de, ei, essa água ta saindo pelo lugar errado foi impagável huaha. Fui pro quarto e falei pro meu marido: pelo menos seus pedidos foram atendidos, a bolsa não estourou de madrugada. Voltei pra cama e ficamos lá enrolando por um tempo, meio que processando o que havia acontecido e como seguir com o dia.

Comecei a ter contrações e a monitorá-las. Elas estavam vindo a cada 3 minutos porém durando pouco, perto de 1/2min só. Fui tomar banho, coloquei meu tens e sentei pra tomar meu café. Nisso para facilitar a vida e evitar maiores sujeitas, coloquei uma fralda. Meu marido foi ficar pronto também. Quando terminei, fui terminar de organizar a mala maternidade (que faltavam alguns detalhes) e o quarto. Não queria ficar muito tempo na maternidade e me manter distraída e ativa ia ser bom pra passar o tempo e acelerar o processo. Enquanto isso, na sala, meu marido e meu pai montavam o carrinho do bebê.

Quando deu mais ou menos 3h que a minha bolsa tinha estourado fomos para a maternidade (11:03). Rotunda. As contrações já estavam bem mais fortes, mas ainda no mesmo intervalo. O pessoal estava começando a ficar nervoso em casa, então achei melhor sair logo hauah.

Cheguei lá, fui examinada, estava com 2cm de dilatação. A menina me perguntou o que eu achava de ir pra casa. No começo achei uma boa, mas o caminho de táxi foi tão desconfortável que eu não queria passar por aquilo de novo. Pedi para ver se tinha como eu ficar e ela me mandou para a ala pré parto.

Quando eu cheguei a midwife veio conversar comigo sobre anestesia e tudo o mais e eu falei que queria usar o gás e depois a epidural. Mas que não queria a Pethidine (é uma anestesia intramuscular que pode chegar ao bebê). Minhas contrações começaram a ficar cada vez mais fortes. O tens já não estava mais dando conta. Sabe aquela coisa de que as pessoas têm 3 minutos sem dor entre uma contração e outra?! Eu não estava tendo. Comecei a gritar de dor. A midwife sugeriu ir para a banheira. Tentei. Não ajudou muito. Comecei a implorar por anestesia. Ela me falou que q única disponível ali era a Pethidine. Eu falei que queria, que não tinha problema, mas eu não estava mais aguentando. A moça que estava do meu lado tinha tomado e estava roncando poucos minutos depois.

Para poder tomar essa anestesia, eles precisam monitorar o bebê por 20min e avaliar a sua dilatação antes. Foi a minha sorte. Por que quando começaram o processo e foram ver a dilatação, eu já estava com 5cm! Rapidinho me arrumaram um quarto pro parto (16:36pm) e já chamaram a anestesista para a epidural. Enquanto isso eu fiquei no gás. E que coisa maravilhosa o gás! Aliviou muito a minha dor! Nossa! Mas rapidinho a epidural chegou.

Poucos minutos depois eu não sentia mais nada de dor. Mal sabia que estava tendo contração. Mas mantive o movimento quase por completo. Logo no começo tivemos que tentar algumas posições diferentes para eu ficar, pois o bebê estava com os batimentos cardíacos caindo muito a cada contração. Fiquei deitada de lado e colocaram uma bola para manter minhas pernas abertas afim de dar espaço para que o bebê conseguisse virar para a posição ideal pra o parto.

Depois de algum tempo, umas 2h, comecei q sentir as contrações de novo, algumas só, mas nada demais que não desse para aguentar e uma pressão lá em baixo. Avaliaram minha dilatação, eu já estava com 7cm. Estava progredindo muito bem e muito rápido para um primeiro bebê. Dormi um pouco, comi um pouco. Por volta das 19h a midwife verificou de novo. Me pediu para fazer um teste de dilatação e empurrar. Foi aí que ela me disse que eu estava com 10cm já! Que o ideal era esperar 1h antes de começar a empurrar pois a cabeça ainda estava muito alta. Fiquei super surpresa! Já estava na hora!

Aconteceu a troca de turno as 20h e a outra midwife já chegou organizando tudo e começando o processo comigo. Colocaram para tocar uma música bem tranquilinha de fundo que sinceramente, achei bem agradável. 1h depois de começar a empurrar, as 21:32, nasceu Louise, com 3,580kg.

Logo colocaram ela em mim e essa coisinha linda logo já estava procurando o peito e mamando. Cortei o cordão. A menina que fez o meu parto, um amor! Permiti que um aluno de medicina assistisse ao parto. Eles foram super pacientes. Esperaram dar uma hora dela comigo antes de dar a vitamina K, pesar tudo o mais. Fizeram tudo com muita calma. Me deram um banho no leito e fui transferida para o quarto por volta de meia noite e já, ela foi até lá comigo, me abraçou, muito fofa. Meu marido ficou comigo um pouquinho mas logo teve que ir embora. E lá estava eu, depois de horas de trabalho de parto, com o meu pacotinho, uma barriga flácida, apenas um ponto e uma felicidade imensa. Agora era hora de começar um novo desafio, a amamentação.

E teve lanchinho depois do parto??? Teve sim! Vou fazer um outro post contando tudo que aconteceu uma vez que o bebê nasceu! Se tiver alguma dúvida ou curiosidade ja escreve aí nos comentários!

Espero que tenham gostado do post e que tenha ajudado de alguma forma! Depois me contem aí nos comentários o que acharam!