Meu Parto Normal Humanizado em Dublin – Irlanda (RELATO DE PARTO)

RELATO DE PARTO Normal Humanizado em Dublin – Irlanda

30/04/2018, nasceu Louise

Tudo começou no dia 28 de Abril. Meus pais e minha sogra já haviam chegado, e décimos sair para turistar. Aqui na primavera tudo fica lindo demais e eu queria muito levar eles no Herbert Park, que fica simplesmente maravilhoso nessa época. Fomos até lá andando e voltarmos andando. De acordo com o meu Fitbit, andei mais de 10km no dia. Antes de irmos pra casa, paramos para comer. Eu fui ao banheiro (como uma boa grávida). Eu estava sentindo um corrimento estranho. Quando vi, era parte do meu tampão que havia saído. Rolou aquele misto de felicidade e medo ao mesmo tempo. E então começamos a acelerar as coisas, deixar tudo prontinho. Mas eu tinha certeza que por ser primeiro filho e tudo o mais, ia demorar mais uma semana pelo menos. Então não corremos tanto quanto deveríamos huaha.

RELATO DE PARTO - Meu Parto humanizado na Irlanda - Dublin

Dia 29, quando acordei, o resto do tampão havia saído. Seguimos a vida ainda com a certeza de que teríamos mais pelo menos uma semana. Decidi ficar em casa e organizar algumas coisinhas do bebê. Além de descansar um pouco. Meu marido estava com medo de eu acabar entrando em trabalho de parto se saíssemos pra passear. A semana que viria seria cheia no trabalho e ele ficava dizendo que queria muito que o bebê nascesse depois dessa semana e que não fosse de madrugada.

O Dia do parto

Dia 30, acordei com uma leve cólica, mas isso já vinha acontecendo há alguns dias. E geralmente era vontade de fazer xixi. Levantei e conforme fui fazer meu xixi matinal, minha bolsa estourou (por volta das 8h). Aquele pensamento meio dormindo meio acordada, de, ei, essa água ta saindo pelo lugar errado foi impagável huaha. Fui pro quarto e falei pro meu marido: pelo menos seus pedidos foram atendidos, a bolsa não estourou de madrugada. Voltei pra cama e ficamos lá enrolando por um tempo, meio que processando o que havia acontecido e como seguir com o dia.

Comecei a ter contrações e a monitorá-las. Elas estavam vindo a cada 3 minutos porém durando pouco, perto de 1/2min só. Fui tomar banho, coloquei meu tens e sentei pra tomar meu café. Nisso para facilitar a vida e evitar maiores sujeitas, coloquei uma fralda. Meu marido foi ficar pronto também. Quando terminei, fui terminar de organizar a mala maternidade (que faltavam alguns detalhes) e o quarto. Não queria ficar muito tempo na maternidade e me manter distraída e ativa ia ser bom pra passar o tempo e acelerar o processo. Enquanto isso, na sala, meu marido e meu pai montavam o carrinho do bebê.

Quando deu mais ou menos 3h que a minha bolsa tinha estourado fomos para a maternidade (11:03). Rotunda. As contrações já estavam bem mais fortes, mas ainda no mesmo intervalo. O pessoal estava começando a ficar nervoso em casa, então achei melhor sair logo hauah.

Cheguei lá, fui examinada, estava com 2cm de dilatação. A menina me perguntou o que eu achava de ir pra casa. No começo achei uma boa, mas o caminho de táxi foi tão desconfortável que eu não queria passar por aquilo de novo. Pedi para ver se tinha como eu ficar e ela me mandou para a ala pré parto.

Quando eu cheguei a midwife veio conversar comigo sobre anestesia e tudo o mais e eu falei que queria usar o gás e depois a epidural. Mas que não queria a Pethidine (é uma anestesia intramuscular que pode chegar ao bebê). Minhas contrações começaram a ficar cada vez mais fortes. O tens já não estava mais dando conta. Sabe aquela coisa de que as pessoas têm 3 minutos sem dor entre uma contração e outra?! Eu não estava tendo. Comecei a gritar de dor. A midwife sugeriu ir para a banheira. Tentei. Não ajudou muito. Comecei a implorar por anestesia. Ela me falou que q única disponível ali era a Pethidine. Eu falei que queria, que não tinha problema, mas eu não estava mais aguentando. A moça que estava do meu lado tinha tomado e estava roncando poucos minutos depois.

Para poder tomar essa anestesia, eles precisam monitorar o bebê por 20min e avaliar a sua dilatação antes. Foi a minha sorte. Por que quando começaram o processo e foram ver a dilatação, eu já estava com 5cm! Rapidinho me arrumaram um quarto pro parto (16:36pm) e já chamaram a anestesista para a epidural. Enquanto isso eu fiquei no gás. E que coisa maravilhosa o gás! Aliviou muito a minha dor! Nossa! Mas rapidinho a epidural chegou.

Poucos minutos depois eu não sentia mais nada de dor. Mal sabia que estava tendo contração. Mas mantive o movimento quase por completo. Logo no começo tivemos que tentar algumas posições diferentes para eu ficar, pois o bebê estava com os batimentos cardíacos caindo muito a cada contração. Fiquei deitada de lado e colocaram uma bola para manter minhas pernas abertas afim de dar espaço para que o bebê conseguisse virar para a posição ideal pra o parto.

Depois de algum tempo, umas 2h, comecei q sentir as contrações de novo, algumas só, mas nada demais que não desse para aguentar e uma pressão lá em baixo. Avaliaram minha dilatação, eu já estava com 7cm. Estava progredindo muito bem e muito rápido para um primeiro bebê. Dormi um pouco, comi um pouco. Por volta das 19h a midwife verificou de novo. Me pediu para fazer um teste de dilatação e empurrar. Foi aí que ela me disse que eu estava com 10cm já! Que o ideal era esperar 1h antes de começar a empurrar pois a cabeça ainda estava muito alta. Fiquei super surpresa! Já estava na hora!

Aconteceu a troca de turno as 20h e a outra midwife já chegou organizando tudo e começando o processo comigo. Colocaram para tocar uma música bem tranquilinha de fundo que sinceramente, achei bem agradável. 1h depois de começar a empurrar, as 21:32, nasceu Louise, com 3,580kg.

Logo colocaram ela em mim e essa coisinha linda logo já estava procurando o peito e mamando. Cortei o cordão. A menina que fez o meu parto, um amor! Permiti que um aluno de medicina assistisse ao parto. Eles foram super pacientes. Esperaram dar uma hora dela comigo antes de dar a vitamina K, pesar tudo o mais. Fizeram tudo com muita calma. Me deram um banho no leito e fui transferida para o quarto por volta de meia noite e já, ela foi até lá comigo, me abraçou, muito fofa. Meu marido ficou comigo um pouquinho mas logo teve que ir embora. E lá estava eu, depois de horas de trabalho de parto, com o meu pacotinho, uma barriga flácida, apenas um ponto e uma felicidade imensa. Agora era hora de começar um novo desafio, a amamentação.

E teve lanchinho depois do parto??? Teve sim! Vou fazer um outro post contando tudo que aconteceu uma vez que o bebê nasceu! Se tiver alguma dúvida ou curiosidade ja escreve aí nos comentários!

Espero que tenham gostado do post e que tenha ajudado de alguma forma! Depois me contem aí nos comentários o que acharam!

Irlanda // Tirando o meu visto

Oi gente! Tudo bom? Hoje eu vim contar um pouquinho de como foi tirar o meu visto na Irlanda, o que eu precisei levar, onde precisei ir e tudo o mais. Então vamos lá. O visto do meu marido é o visto de trabalho e o meu é o de esposa (Stamp 3) e com esse visto, eu não posso trabalhar ou qualquer coisa do gênero, se eu quiser fazer isso, vou ter que arrumar o emprego e ir lá novamente pedir para mudarem o meu visto.

Stamp 1 Stamp 3
This person is permitted to remain in Ireland on conditions that the holder does not enter employment unless the employer has obtained a permit, does not engage in any business or profession without the permission of the Minister for Justice and Equality and does not remain later than a specified date.

·       Non-EEA national issued with a work permit
·       Non-EEA national issued a Green Card Permit
·       Non-EEA national who have been granted permission to operate a business in the State
·       Working Holiday Authorisation holder

 

This person is permitted to remain in Ireland on conditions that the holder
does not enter employment, does not engage in any business or profession and does not remain later than a specified date.

·       Non-EEA visitor
·       Non-EEA Minister of Religion and Member of Religious Order
·       Non-EEA spouse/dependant of employment permit holder

 

 irlanda // tirando meu visto

Onde eu preciso ir?

Visa Office
Irish Naturalisation and Immigration Service
13-14 Burgh Quay
Dublin 2
Ireland

Clique aqui para ver no Google Maps.

O que Precisamos levar?

Rafael Maria
  • Permissão de trabalho
  • Passaporte
  • Cartão de Crédito (custa 300 euros e eles não aceitam dinheiro!)
  • Comprovante de residência
  • Cópias da certidão de casamento traduzida e da original
  • O Marido
  • Passaporte
  • Cartão de Crédito (custa 300 euros e eles não aceitam dinheiro!)
  • Comprovante de residência

Quanto tempo demora para o Visto sair?

Sai no mesmo dia. Aquela coisa, você perde o dia inteiro lá, mas pelo menos você sai com tudo resolvido, o que é muito bom.

Quer saber mais? Assiste o vídeo!

Alugando um Apartamento em Dublin

Bom dia meus amores!

Hoje eu vim falar de um assunto importante para quem pensa em vir morar aqui em Dublin. Como alugar um apartamento? Bom, já vou adiantando que não é fácil, então se você for ficar por um curto período de tempo, seria preferível ficar em um apartamento AirBnb ou alguma coisa similar. Mas vamos lá que eu vou explicar passo a passo como foi conosco e como você pode fazer para conseguir o seu apartamento.

Processed with VSCOcam with a5 preset

1. Procurando o apartamento

Existem corretoras por aqui? Acredito que sim, mas usamos esse site, o daft.ie e fizemos tudo através dele para conseguir o apartamento. Através dele você consegue também ter uma noção mais ou menos do valores dos aluguéis por aqui. Então, se você está vindo para cá, esse é o seu site.

2. Gostei de um apartamento do site, quero alugar, como faço?

Entra em contato com o responsável pelo imóvel, seja por telefone, seja por mensagem no próprio site, falando que está interessado e que deseja ver o apartamento. Provavelmente ele vai agendar um dia e horário para você ir lá ver.

3. Vendo o apartamento

Não se engane. Raras serão as vezes que só estará você naquele dia e horário para ver o apartamento. Se fosse assim, seria muito simples. Por um lado, isso é bom, pois te da a liberdade de bisbilhotar o ap todo sem ninguém no seu pé.

4. Gostei do apartamento, quero alugar, como faz?

Bom, aqui é praticamente o oposto do que acontece no Brasil: lá, você escolhe o apartamento que quer, com calma e a pessoa que está alugando fica agradecido que conseguiu alugar o apartamento. Certo? Certo. Aqui é o contrário. Aqui se você gostou do apartamento, você vai colocar o seu nome numa lista, junto com algumas informações que serão avaliadas pelas pessoas que querem alugar o ap e ELES escolhem dentro das opções, para quem eles vão alugar. Conclusão: se você é jovem, solteiro, sem emprego ou acabou de arranjar um, estrangeiro, que acabou de chegar, sem referência de proprietários de outros apartamentos em que tenha alugado, quais as chances de alguém confiar o apartamento a você? Talvez entre você e um casal com filhos pequenos e cachorro, você seja a preferência, mas assim, geralmente não são só 2 pessoas querendo o mesmo ap.

5. E agora? O que eu faço?

Vai ficar pouco tempo? Vai para um airbnb, divide apartamento, qualquer outra opção, você provavelmente não vai conseguir um alugar um ap e sinceramente? Nem vale o esforço. Até por que, os contratos aqui, em geral, são de no mínimo 6 meses e a maioria de no mínimo 1 ano.

Ta vindo para morar mesmo ou ficar bastante tempo? Vamos lá, agora eu vou te contar como conseguimos o nosso apartamento e o que fizemos para isso:

Já estávamos ficando meio desesperados pois quando meu namorado veio para cá, ele era basicamente o perfil que eu descrevi ali em cima. Então ferrou. Ele via os aps, gostava, mas nunca conseguia nenhum. Aí tivemos que começar a criar coisas para convencer os proprietários de que ele era uma pessoa responsável e que iria cuidar bem do apartamento. Eis o que criamos:

  • Na época, ele estava já há umas 2 semanas na casa de uma senhora, via airbnb. Bom, pedimos uma carta de recomendação dela, dizendo que ele estava hospedado na sua casa, e que era uma pessoa organizada, que nunca havia dado problemas, que era confiável e tudo o mais. Ok. Não tem o peso de uma carta de um proprietário/landlord prévio, mas já ajuda muito. Então aí vai a primeira dica: você mora no Brasil em apartamento alugado? Tente conseguir com o proprietário ap onde você vive no Brasil uma carta de referência. Sério, vai ajudar.
  • Outra coisa que auxilia nesse processo é uma carta do seu empregador, falando que você realmente trabalha onde diz que trabalha e sua faixa salarial. Também tínhamos uma dessas.
  • Nosso casamento era dentro de um mês apenas. E uma coisa é um homem solteiro em um apartamento. Outra coisa é um homem casado. Preconceito? Com certeza. Mas é a vida. Começamos a dizer que já éramos casados.
  • Um vez que o Rafael ia ver os apartamentos juntos com todos os outros “pretendentes”, pronto, ele já estava em desvantagem. Resolvemos esse problema como?! Bom, chegou um momento que estávamos cansados de ter nossos corações partidos por gostar de um ap e ele nunca ser nosso. Resolvemos apelar. Oferecemos de pagar o aluguel mais caro para ver um apartamento primeiro, o proprietário foi receptivo, mostrou o apartamento e fechamos o negócio. Estamos nesse apartamento.

Mas não me entendam mal e desistam se vocês tem as características descritas acima. Na mesma época que Rafael estava procurando um Russo, que chegou na mesma época que ele, estava na mesma caçada. Pois bem, ele conseguiu um apartamento também, mas demorou umas 2 semanas a mais.

6. Agora só assinar o contrato? Quais documentos preciso?

Documentos: Apenas o número do seu PPS (Personal Public Service Number).
Ps: Fechamos o ap diretamente com os proprietários. Então não sabemos exatamente quais as exigências de documentos quando fechando o contrato com administradoras. E acredito que dependa da administradora também. O Russo citado acima, fechou com uma administradora, ele teve que enviar além do PPS: passaporte, comprovante de renda do banco e a carta do empregador.

Depósito de Segurança: No Brasil, geralmente o que acontece é que temos um fiador. Aqui porém, o que eles pedem é um depósito de 1 mês (em geral) de garantia, que você retira ao final do seu contrato se não tiverem havido danos ao apartamento causados por você ou inadimplência.

7. Pagando o Aluguel

Uma coisa importante de saber é que aqui eles cobram o aluguel adiantado. Sendo assim, logo que você fecha o contrato, você precisa pagar 2 meses de aluguel: um é o pagamento do mês, normal e o outro é o depósito de segurança/garantia. Então, traga dinheiro suficiente para tal.

Dicas:

  • Os apartamentos aqui em geral já vem mobiliados, então não precisa se preocupar com essas coisas. Incluindo utensílios de cozinha. Mas se não vier, ou você sentir falta de algum móvel, recomendo a IKEA, coisas baratas, de qualidade e que quebram um galho gigantesco. E você encontra tudo em uma loja só.
  • Quando estiver olhando, dê preferência para os apartamentos nas quais as torneiras misturam a água quente com a fria. Muitos aps aqui tem as torneiras fria e quente separadas, o que inviabiliza de você utilizar a quente, uma vez que a água sai queimando. E lavar louça, escovar os dentes, lavar as mãos na água gelada (é muito gelada) principalmente no inverno, não é legal.
  • Quando chegarem no apartamento, verifiquem se tem algo quebrado e entrem em contato logo com o responsável pelo ap para que tudo seja concertado logo de uma vez
  • Não seja muito exigente. Especialmente por que o apartamento já vem mobiliado, tendemos a as vezes não gostar do apartamento, por exemplo, por odiar o sofá, ou a escolha de móveis da sala. Não faça isso. Também não seja detalhista. Isso só vai dificultar para você conseguir o ap. E sinceramente, acho que nunca vai conseguir do jeito que quer.
  • Morar perto de pubs, em geral não é problema, uma vez que eles tem um bom isolamento de som. Mas cuidado com as boates. Muitas pessoas tendem a sair bêbadas dessas, gritando e fazendo bagunça, tendem a deixar muito lixo na rua (por ficarem horas na fila para entrar) e coisas assim.
  • Cuidado com as igrejas também! Muitas tem sinos que fazem MUITO barulho e tocam por muito tempo! Incomodando bastante.
  • Dublin 1 é a região do centro da cidade e uma área próxima de tudo e em geral com os preços mais acessíveis. As demais regiões mais em conta tendem a ser mais afastadas.
  • CUIDADO COM OS GOLPES!!! 

Bom pessoal, essa foi a história de como conseguimos o nosso apartamento e como é para alugar um apartamento por aqui. Qualquer dúvida, pergunta que tiverem, pode deixar aí nos comentários que tentaremos responder. Depois me falem se gostaram do post e como foi/está sendo a procura de vocês.

Mil e um beijinhos e até a próxima!

FanpageInstagramTwitterSkoob Bloglovin